Garantindo a Qualidade da Água Potável: A Importância do Controle Microbiológico

Água contaminada

A água é essencial para a vida e o acesso à água potável de qualidade é um direito fundamental de todos os seres humanos. Neste contexto,  a meta 6.3 da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável visa assegurar o acesso universal e equitativo à água potável. No entanto, garantir que a água que consumimos esteja livre de contaminantes é um desafio constante. Assim sendo, o controle microbiológico desempenha um papel crucial na garantia da segurança e qualidade da água potável! E como a missão da Protos é impactar a sociedade por meio da biotecnologia, estamos comprometidos com a realização da meta 6.3 nessa jornada rumo ao desenvolvimento sustentável.

O que é o controle microbiológico na água?

O controle microbiológico na água potável envolve a identificação e monitoramento de microrganismos que podem representar riscos à saúde humana, tais como bactérias, vírus, protozoários e fungos. Estes microrganismos podem ser introduzidos na água através de diversas fontes, incluindo esgotos, atividades agrícolas, resíduos industriais e escoamento urbano.

Por que o controle microbiológico é importante?

  • Prevenir doenças: A presença de microrganismos patogênicos na água potável pode causar uma série de doenças, desde gastroenterites até infecções mais graves. 
  • Promover a saúde pública: A água potável de qualidade é essencial para a saúde pública. O controle microbiológico da água contribui para a saúde da população em geral, especialmente para crianças, idosos e pessoas com sistema imunológico fraco.
  • Evitar surtos de doenças: O controle microbiológico da água ajuda a prevenir surtos de doenças transmitidas por água, que podem ter um impacto significativo na saúde pública e na economia.
  • Atender à legislação: A legislação brasileira estabelece padrões de potabilidade para a água, e o controle microbiológico é fundamental para garantir que a água esteja em conformidade com esses padrões.
Água contaminada

Como manter o controle microbiológico da água?

  • Filtração: É uma técnica que remove partículas sólidas e microrganismos maiores da água. Existem diversos tipos de filtros, incluindo filtros de areia, carvão ativado e membranas porosas. Os filtros de membrana, em particular, são capazes de reter microrganismos patogênicos, como bactérias e protozoários.
  • Desinfecção: É o processo de eliminação ou inativação de microrganismos patogênicos na água. O cloro é o desinfetante mais comumente usado devido à sua eficácia contra uma ampla variedade de microrganismos e ao seu baixo custo. Entretanto, o cloro pode formar subprodutos indesejados e ter um sabor residual. Outras opções incluem ozônio, dióxido de cloro e peróxido de hidrogênio, que podem ser mais eficazes em certas situações e têm menos efeitos colaterais.
  • Radiação Ultravioleta (UV): Esta é uma forma de energia que é eficaz na desinfecção da água. Quando a água é exposta à luz UV, a radiação danifica o DNA dos microrganismos, impedindo sua capacidade de se reproduzir e causar doenças. A radiação UV é especialmente útil para eliminar vírus e bactérias resistentes ao cloro.
  • Ultrafiltração e Osmose Reversa: São processos de separação baseados em membranas semipermeáveis. Na ultrafiltração, as membranas retêm partículas, microrganismos e alguns íons, enquanto na osmose reversa, as membranas removem virtualmente todos os contaminantes, incluindo sais, microrganismos e materiais orgânicos dissolvidos. Esses processos são altamente eficazes na remoção de impurezas da água, produzindo água de alta qualidade.
  • Monitoramento microbiológico: Este método envolve a análise regular da água para detectar a presença de microrganismos indicadores de contaminação, como coliformes fecais, Escherichia coli e outros patógenos. Esse monitoramento é essencial para garantir a eficácia das técnicas de tratamento e a segurança da água para consumo humano.

Cada uma dessas técnicas tem suas próprias vantagens e limitações, e a escolha da melhor abordagem dependerá das características específicas da água a ser tratada, bem como dos requisitos de qualidade e regulamentações locais. Em muitos casos, uma combinação de diferentes técnicas é empregada para garantir a máxima eficácia na remoção de contaminantes microbiológicos da água.

Para encontrar a melhor abordagem de controle microbiológico da água que atenda suas necessidades, consulte a Protos!

Referências Bibliográficas:

CRUZ; MARIA; RESENDE, A. Análise microbiológica da água consumida em estabelecimentos da educação infantil da rede pública do Gama, DF. SaBios-Revista de Saúde e Biologia, v. 4, n. 1, 2024. 

ENID, S. Agenda 2030 : ODS – Metas nacionais dos objetivos de desenvolvimento sustentável. Ipea.gov.br, 2024. 

PAULO; AUGUSTO, C.; NILO. A dimensão da qualidade de água: avaliação da relação entre indicadores sociais, de disponibilidade hídrica, de saneamento e de saúde pública. Engenharia sanitária e ambiental,  v. 10, n. 3, p. 219–228, 2005.